terça-feira, 10 de novembro de 2015

REAL GOTHIC 2 X 1 CRUCIFA

Dark Entries!

No dia 24/10/2015, houve mais um aguardado arranca-toco com os amigos-rivais do Crucificados pelo Esquema. A peleja aconteceu naquele que já tem tudo para se transformar em um autêntico templo amaldiçoado: o famigerado Parque da Mooca. Os morcegos pretendiam compensar o péssimo jogo anterior. Caiu na Mooca? Se enforca! hehehe... 

Atletas-Morcego e Bat-Torcedores (Só faltou o goleiro Otávio na foto).


O Crucifa estava desfalcado de alguns atletas - aliás, por pouco quase desistiram do jogo devido a falta de quórum - mas não menos empenhado em conseguir mais uma vitória. Todo jogo com o Crucifa, independente do numero de atletas, é difícil. O Real Gothic, por outro lado, contava com um reforço: Tiago Abud, baixista da banda The Knutz (RJ).

O clima entre os morcegos era de comprometimento total. A peleja começou e, logo no início, o Real Gothic mostrou a que veio: Ed interceptou um passe, avançou em velocidade e tocou com categoria na saída do goleiro: 1 x 0! Go, batz!

Ed marca o primeiro gol do jogo!

O que se viu depois disso foi um Real Gothic marcando com extrema eficiência, sem dar espaços ao adversário. Além disso, em sintonia, os morcegos trabalhavam bem a pelota e criavam boas oportunidades para aumentar o marcador. 

Como uma orquestra fantasmagórica, os morcegos ditavam o ritmo!

Tiago Abud chuta com perigo!

Com amplo domínio, o segundo gol parecia cada vez mais próximo. Taís, Abud e Freon desperdiçaram excelentes chances de ampliar o marcador. Mas, apesar do nosso ótimo desempenho, o combativo Crucifa resistia e também oferecia perigo. Dessa forma, o duelo seguiu equilibrado e sem alterações no marcador, até o final da primeira etapa. 

O segundo tempo era crucial para os morcegos. 
Era preciso manter o bom desempenho e segurar a pressão do Crucifa.
E assim aconteceu! Nossa marcação manteve-se firme e estável. Era trabalhoso achar brechas em nossa sólida defesa.

Bloco Defensivo!

E quando o Crucifa conseguia encaixar seu toque de bola, esbarrava nas boas defesas do goleiro Otávio. Dessa vez, sob a encarnação de Mr. Hyde, o arqueiro das trevas foi seguro quando exigido. Possuído pelo monstro, Otávio chegou a marcar um gol, que infelizmente foi anulado devido uma irregularidade na saída de bola. O Real Gothic criava várias jogadas de ataque, mas falhava no arremate final. E isso poderia custar muito caro. A bola cobra, dizia o poeta.

O tempo normal já estava esgotado. Os times concordaram com dois minutos de acréscimo. Eram dois minutos essenciais onde não poderíamos perder o controle. O Crucifa, sempre temível, lutava por uma bola, uma ultima chance.

Foi quando Guilherme Legião arriscou um toque perigoso na saída de bola. Os visitantes interceptaram o passe e rapidamente construíram uma jogada fatal. Era o gol de empate: 1 x 1. Um balde de água congelante no Real Gothic. A vitória escorria pelos dedos feito cinzas do inevitável passar do tempo. O resultado parecia decidido. Não havia tempo.

Mas o time não se abateu por completo. Sadness is Rebellion, já dizia a musica. É da tristeza que germina a reação e nascem as grandes realizações. Restavam segundos preciosos. Assim, Ed foi pra cima feito um samurai-zumbi-kamikaze, sedento por vingança. Era o Arayashiki. Nada podia para-lo a não ser... Um pênalti! Falta dentro da área, pênalti para o Real Gothic! O capitão Freon assumiu a responsabilidade e, com a frieza da Coldwave francesa, converteu.


 Ed é derrubado na área. Freon cobra com frieza e define o placar.


E assim terminou o confronto!
Um grande jogo com um final épico, digno de mais um clássico inesquecível do futebol underground!



Ficha Técnica
Real Gothic 2 X 1 Crucifa
Jogadores: Otávio (G), Freon, Taís, Ed, Bill, Guilherme, Kelvyn Esqueleto e Abud.
Gols: Ed (1) e Freon (1).




Nenhum comentário: